É Proibido Proibir

A proibição a certos alimentos, nutrientes e ingredientes da indústria expostos nas mídias e no nosso convívio é tão forte que as vezes ficamos presos como escravos a tantas modificações que fazemos e imputamos em nossos hábitos e da nossa família que não sabemos nem o que seguir como padrão. E por isso, volto a falar de alimentação saudável na família com ênfase naquilo que é base para a sustentação da rotina e adesão à reeducação alimentar que tanto sonhamos.

Para obter uma vida saudável devemos compor nossa alimentação com a alimentos variados, pois assim, teremos um maior aporte de nutrientes que tanto necessitamos.
É importante o equilíbrio. Comer sem culpa também é moderar o consumo de doces, frituras e alimentos ricos em gordura e processados. A nossa escolha deve ser de alimentos frescos, acessíveis e sazonais.

Como inserir minha família nesta jornada onde eu não estou sozinha?
Seja para perda de peso, doenças ou apenas para uma consciência de boa qualidade de vida, quais caminhos percorrer?

Começo enfatizando 4 situações muito importantes
• COMPRAR
• ARMAZENAR
• PREPARAR
• CONSUMIR

Como comprar alimentos saudáveis?
1) Ler as informações contidas nos rótulos dos alimentos.
2) Comparar marcas – você pode escolher entre os pães integrais o que tiver o menor teor de sódio e gorduras por exemplo ou comprar aquele suco que não contém conservantes e açúcar.
3) Verificar prazo de validade, se a embalagem não está violada, se o produto não apresenta alterações de cor, cheiro e consistência. Observar o local de armazenamento no freezer ou refrigerador e se as prateleiras estão limpas fazem parte das suas observações.
4) Se tiver enfermidade, ficar atentos ao nutriente que lhe causa dano.
5) Comprar os alimentos que estão na safra, são mais baratos e possuem mais nutrientes.

Onde armarzenar os alimentos?
1) Seguir as orientações das embalagens é importante pois é como um manual para garantir a validade elucidada na embalagem.
2) Vegetais folhosos e hortaliças deverão ser guardados em refrigeradores na parte menos fria da geladeira para evitar que percam nutrientes e estraguem mais rápido.
3) Ovos deverão ficar em um suporte dentro da geladeira e evitar que fiquem na porta pois com o abrir e fechar constantes podem trincar e contaminar os ovos.
4) Produtos de mercearia que necessitem de refrigeração, guardá-los lavados ou higienizados com álcool 70%
5) Carnes – freezer se houver necessidade de congelar. Não podendo congelar novamente. No refrigerador quando o uso é unicamente para o dia.
6) Leites e sucos após abertos, na geladeira.
7) Os produtos não perecíveis deverão ser guardados em prateleiras limpas escolhendo organizar o mais próximo de vencer na frente da prateleira.

Preparação dos alimentos:
1) Fazer um cardápio semanal favorece uma boa compra sem desperdício e também evita a perda de alimentos. Pois as vezes alguns alimentos são esquecidos dentro da geladeira.
2) O pré-preparo dos alimentos (lavar, descascar, picar ou triturar), principalmente verduras e carnes, facilita muito a rotina pois estes podem ser armazenados no refrigerador ou freezer e facilita atender o cardápio proposto. Pode-se neste momento, separar talos, caules, folhas, sementes e cascas e com isso aproveitar integralmente os alimentos enriquecendo a alimentação da família.
3) Utilizar a técnica correta para cocção dos alimentos é preservar os nutrientes. Portanto, vamos conhecer algumas para uma alimentação saudável:
Refogar: adiciona-se pouca ou nenhuma quantidade de óleo e para ajudar na cocção pode acrescentar água em pequenas porções. É como se o alimento fosse esquentando até suar;
Cozimento: para alimentos que são indigestos crus, para minimizar microrganismos ou para alimentos que continuam com seus nutrientes preservados. Para cozimento de verduras e legumes usar pouca água e fogo baixo para preservar as vitaminas. Dessa maneira haverá menos perdas de vitaminas B e C. Para as carnes, é importante escolher os cortes de acordo com o que vai fazer, porque pode ser cozida, assada ou grelhada.

E na hora de comer?

1) Para alimentos quentes: quando este estiver pronto para consumir, devemos mantê-lo aquecido, pode-se utilizar banho-maria acima de 60°C enquanto estiver sendo servido. O alimento que sobrou deve ser mantido sob refrigeração. Alimentos mornos ou frios (acima de 5°C e abaixo de 60°C) podem proliferar bactérias causadoras de doenças.
2) Na hora de reaquecer os alimentos eles devem chegar a 74°C e se eu não tiver termômetros devo aquecer até a fervura quando for sopas e ensopados e os outros devem ser reaquecidos em fogo baixo até que fique bem quente.
3) Não guardar alimentos crus e cozidos juntos pois pode haver contaminação cruzada.
4) No reaquecimento utilizar sempre água limpa.
5) Ao comer lembrar de alguns princípios importantes da alimentação:
Quantidade: seguir as quantidades de acordo com o que cada um precisa deve ser calculado por profissional nutricionista;
Qualidade: verificar se há contaminação no alimento, excesso de gordura ou se estiver mal conservado pode provocar ou agravar doenças;
Variedade: não existe nenhum alimento que tenha todos os nutrientes que precisamos de 1 só vez, por isso há necessidade de variedade, e por isso o destaque; Moderação : este complementa o princípio da quantidade e neste aprendemos que não devemos comer nem mais e nem menos do que o nosso corpo precisa. Usamos neste princípio o bom-senso;
Harmonia: é conseguida combinando cores, consistências e sabores. Até mesmo a forma que cortamos os vegetais e compramos os pratos conseguimos adesão a reeducação alimentar.

Para lembrar o que Deus pensa a respeito da alimentação na Palavra olha o que Ele disse ao homem:

Vocês podem comer os animais e também as verduras; eu os dou para vocês como alimento.
Gênesis 9:3 NTLH


Sabrina Rodrigues é nutricionista clínica, casada com Luciano Rodrigues , mãe de três filhos,
Luiz, Sara e Gabi. É membro e líder na Igreja Videira e vive atualmente em SÃO PAULO /SP  BRA.
E-mail: sabrina@pedacosdobrasil.com.br