FINAL DE ANO: Tristeza ou Alegria?

Ouvimos muito os opostos comentários a respeito do fim de ano: Amo E ou Detesto.

E você? Qual seria sua resposta?

Por que é um período visto de modo tão extremo?

Quero falar um pouco sobre os que respondem: não gosto, não sou adepto a essas festas, é triste, é entediante…

Pode ser por vários motivos, vejamos alguns:

1. Por ser na maioria das culturas tanto o Natal como o Réveillon datas para se ter jantares, almoços, encontros, confraternização, família, comunhão, estar juntos, porém, nem todos gostam desta intensa comunhão, nem todos têm bons amigos e alguns dizem nem ter família.
E alguns ainda pensam: Comemorar o quê? Festejar? Brindar o quê? Isso tudo me causa um desconforto.

2. Período que ciclos são fechados de um ano todo. Quando olhado por este ponto, muitos sofrem a angústia, quando começam a colocar na balança tudo o que sonharam viver naquele ano e não foi alcançado.

3. Por luto, perda de um ente querido;

4. Ano em esta pessoa passou pelo divórcio e todo o processo foi bem doloroso, afinal, a grande maioria não se casa para divorciar.

5. Demissão no trabalho, desemprego.

6. Uma pessoa que por trabalho ou opção foi embora do seu país e sente solidão, saudade do seu povo, das suas origens e tantos outros pontos.

Vejamos como ajudar esses indivíduos que sofrem com as datas de final de ano ou neste fim de 2017 estão passando por dores e dificuldades.

Nossa sociedade de hoje tem a dificuldade de encarar o momento da dor, da perda, da tristeza, da dificuldade, do luto, pois a todo tempo que abrimos as redes sociais, em maior parte das postagens são belas fotos, sorrisos, abraços, mesmo que nem sempre estas fotos sejam de situações de tanto amor assim.
Que saibamos compreender, respeitar a tristeza do outro, para que ele venha a passar seu final de ano como desejar.
Podemos agora também, não olhar para o outro mas sim para dentro de nós mesmos.
Caso seja você, esta pessoa que está há anos passando seu fim de ano com o coração cheio de tristeza, será que não é tempo de você analisar o que está errado? O que tem te paralisado? O que te traz tanto choro, dor ou até mesmo magoa neste período?
Tristeza, todos nós passamos por esse sentimento, que chamamos de negativo, porém passamos e devemos procurar não permanecer nele. É necessário que a culpabilização diminua a cada dia e não que tenha aumento a cada dia.
E toda alteração cognitiva da depressão precisa passar pelo processo inverso, isto é, pensar, ratificar as boas coisas da vida, valorizar os pontos positivos, deixando assim de hipervalorizar os aspectos negativos.

Que tal você descobrir o que te fere e se abrir para a cura?
Nossa vida passa muito rápido.
Você pode voltar a ser e se sentir feliz.
Ainda dá tempo.

Um dos melhores remédios para a nossa alma é termos AMOR por nós mesmos.
Você é Especial.
Psicóloga Adriana Bertelli dos Anjos.

 


Adriana Bertelli dos Anjos é  Psicóloga, Pastora e Pedagoga.  Casada com Joel dos Anjos , mãe de duas filhas, Lana e Valentina. É membro da Igreja Assembléia de Deus Madureira e vive atualmente em Piracicaba SP / BRA .
Adriana faz Atendimento Clínico Presencial ou FaceTime/Skype)
Contato: Perfil do Facebook