A Lei da Palmada

Devemos corrigir nossos filhos de que forma? Apenas conversando com eles? Devemos corrigir com umas palmadas ou chineladas? O que a bíblia diz?

Ao contrário do que já foi divulgado e do que muitos estão pensando, a Lei da Palmada ainda não foi aprovada e não está em vigor.

Para quem ainda não sabe sobre esse projeto de lei,  a proposta é de que a nova lei seja incorporada ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e que pais, professores e babás que fizerem uso de beliscões, empurrões ou puxões de cabelo em crianças sejam penalizados. A Lei proíbe os pais de castigarem seus filhos fisicamente. O maior rigor da lei para a famosa palmadinha é motivo de discordância entre especialistas em educação. Muitos pensam que é uma medida exagerada do Estado. Segundo a filósofa Tânia Zagury, autora do livro Limites sem Traumas, acredita que a origem do projeto é boa, no sentido de evitar o espancamento, mas que a proposta é controversa. O governo não terá condições de colocar em prática e fazer a fiscalização, já que o Poder Judiciário não tem conseguido cuidar de casos seríssimos de espancamento.

De outro lado está a co-autora do projeto, Carmem Oliveira  que acredita que a nova Lei terá função educativa, mais do  que proibitiva.

É um projeto polêmico, que ainda não foi aprovado pelo Congresso Nacional. Mas levantou toda uma discussão na sociedade. As opiniões são diversas. Muitas pessoas estão contra essa lei e muitos estão a favor. Como cristãos, precisamos nos posicionar e não negociar os valores que estão na palavra de Deus e como parte de uma sociedade devemos deixar bem clara a nossa opinião.

Precisamos voltar para os princípios da palavra de Deus. Hoje muitos cristãos estão ensinando seus filhos com princípios que não estão na bíblia e por isso estão colhendo frutos amargos. E depois de colherem o que plantaram, questionam e até colocam a culpa em Deus.

Devemos corrigir nossos filhos de que forma? Apenas conversando com eles? Devemos corrigir com umas palmadas ou chineladas? O que a bíblia diz?

Em primeiro lugar,  precisamos entender que a motivação da correção em nosso coração deve ser o amor.

“Pois o Senhor disciplina a quem ama, assim como o pai faz ao filho de quem deseja o bem.”
Provérbios 3:12

Porque desejamos o bem e amamos, então corrigimos. Quem ama, não fere, não espanca, não agride, quem ama corrige.

Só podemos corrigir em cima daquilo que ensinamos. A correção e disciplina tem a sua hora e o seu lugar. O primeiro passo para a correção é sempre o ensino e a conversa. Primeiro nós conversamos e se mesmo assim a criança insistir no erro, entramos com a disciplina. Muitos pais hoje pela vida moderna e ausência na vida de seus filhos por causa do trabalho, acabam deixando muitas situações em que a criança deveria ser corrigida passarem, pois o pouco tempo em que estão com os seus filhos, desejam que sejam apenas momentos agradáveis, para compensar  a falta de sua presença e  acabam por criar crianças indisciplinadas e que fazem o que querem e como querem e que não respeitam ninguém.

Educar crianças é uma tarefa que exige muito esforço, paciência e amor. Não é fácil! É preciso ensinar e repetir e corrigir e ensinar e repetir e corrigir e …

A vara e a repreensão dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma, envergonha a sua mãe.
Provérbios 29:15


A bíblia nos ensina que devemos repreender e usar a vara para a correção de nossos filhos para que depois não venhamos a nos envergonhar. Mas tudo deve ser feito na medida certa.

A correção não deve ser feita em momento de raiva e fúria, e também não tem o objetivo de constranger a criança e expô-la diante de outras pessoas.
DICA (Se você estiver muito nervosa(o), se acalme primeiro antes da correção e se estiver em local público, espere chegar em casa para corrigir) Os pais nessa hora devem exercitar o domínio próprio. Já ouvi casos de crianças que chegam com muitos hematomas na delegacia por serem castigadas com a vara e os pais ainda usam a bíblia como fuga para a sua fúria e descontrole.

A vara deve ser usada apenas para que a criança sinta a ardência no momento e depois de ser explicado o porquê que a criança está sendo disciplinada. O OBJETIVO É CORRIGIR E NÃO MACHUCAR. Muitos pais perdem a paciência e no momento de fúria batem em seus filhos e muitas dessas crianças não entendem o porque apanharam, porque não foram ensinadas.

Fico chocada quando pessoas que se dizem cristãos, se revoltam quando falamos da correção com a vara. Realmente não conhecem e nem aplicam em suas vidas os princípios da palavra.

Vale para a correção também tirar privilégios da criança, deixar de brincar com um amiguinho, colocar em uma cadeirinha para pensar ou até dar uma palmada. Os pais precisam pedir sabedoria a Deus para disciplinarem seus filhos. A disciplina varia muito de uma criança para outra pois a personalidade da criança também conta. Algumas obedecem logo após uma advertência e aí não é necessário entrar com a varinha, mas outras são mais resistentes a disciplina e precisam ser corrigidas de uma forma  mais dura.

Precisamos também tomar muito cuidado com nossas palavras, pois uma palavra pode ferir mais do que a espada.

“Há palavras que ferem como espada, mas a língua dos sábios traz a cura.”
Provérbios 12:18

Muitos pais que levantam a bandeira de que não se deve dar uma palmada em uma criança, estão agredindo seus filhos com palavras e deixando marcas que não desaparecerão com o tempo.

Existem pessoas que se orgulham em dizer: Jamais bati em meu filho! Mas lançam palavras de maldição sobre a criança o tempo todo e geram muitas feridas emocionais (você não faz nada direito, você não vai ser ninguém na vida, maldito o dia em que você nasceu, eu não te aguento mais, ninguém vai querer se casar com você, sai de perto de mim, seu irmão é mais esperto e inteligente que você…)  e essas crianças estão crescendo cheias de mágoas e se tornando adultos doentes e problemáticos.

Não podemos abrir mão da responsabilidade de educar os nossos filhos. A escola, a igreja, a babá, a família, o governo, podem auxiliar na criação de seu filho, mas jamais poderão fazer o trabalho que pertence aos pais.

A verdade é que para o governo é mais fácil criar a Lei que proíbe do que gastar tempo e dinheiro em educação.

Seja sábio ao disciplinar seu filho, sabendo que a disciplina no momento traz a tristeza, mas depois produz frutos de justiça e paz.

Vivendo pela graça e amor de Cristo!
Helaine Cristhina


Helaine Cristhina Gonçalves Barbosa é casada com Alexandre Gomes Barbosa , mãe de três filhos,
Davi Henrique , Jonathas e Esther, vive atualmente em ORLANDO FL / USA .

E-mail: helaine@mulheresemdeus.com.br